AS ARARAS ME CHAMAM DE LARA

Lara tenta seu primeiro trabalho com carteira assinada no interior de Mato Grosso.

 

O longa retrata Lara, travesti que existe e resiste no interior de Mato Grosso.

Sua presença não é bem vinda socialmente, apenas na cama. Mercado de trabalho a chama de Lauro, como ainda está em seu RG.

Direção, Roteiro e Câmera:

Irís tem 25 anos, não-binário e mora em Rondonópolis-MT. Tem formação em Radialismo pela Universidade Federal de Mato Grosso. 

Em 2019 recebeu o Prêmio RAD da Rede Argentina de Documentaristas pelo curta-metragem "Majur", que também recebeu a indicação ao primeiro turno do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. Com o primeiro curta "Meu Rio Vermelho", recebeu a indicação ao Prêmio da Associação Brasileira de Cinematografia 2017 na categoria estudantil e participou do programa "Pausa pro Café" do Canal Brasil. Fez a fotografia de cinco curta-metragens e do longa documental "Missivas" gravado em Santiago, Concepcion, Brasília e Mato Grosso.

Iniciou na área de audiovisual com 11 anos. Começou a fotografar quando morava em Mirante-BA e encontrou em uma câmera digital a forma de superar uma depressão infantil. Ainda em 2006, o sertão da Bahia foi cenário para as fotos e vídeos. Sua vizinha era benzedeira e indicava seus serviços para casais e gestantes que iam pedir benção. De volta à cidade natal, foi apadrinhadx por um fotógrafo que introduziu a noção técnica. Transformou seu trabalho em negócio, Participou de nove exposições fotográficas e foi bolsista por dois anos no Cineclube Coxiponés. Os dois curta-metragens autorais (direção, câmera e montagem) somam mais de 120 exibições físicas e licenciamento para Canal Brasil e TV Brasil. São 22 prêmios em três anos de cinema.

Majur (2018)

Principais seleções:

46º Festival de Cinema de Gramado

28º Curta Cinema

26° Festival Mix Brasil

25th Dreamspeakers International Film Festival (Canadá)

22º Mostra de Tiradentes

21ª Muestra Internacional Documental de Bogotá (Colômbia)

13th Muestra Cine+Video Indígena (Chile)

11th Festival Internacional de Cine Invisible Film Sozialak,  Bilbao (Espanha)

Indicação ao primeiro turno do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. 

Realizado com Edital Municipal de Incentivo a Cultura da Prefeitura de Cuiabá 2017. 

Meu Rio Vermelho (2016)

Licenciado para Canal Brasil 

Está disponível no Canal Brasil Play e Video Camp.

Principais Seleções:

17º Encontros de Cinema (Portugal)

10th International Tourism Film Festival (Letônia)

9º Circuito Tela Verde - Ministério do Meio Ambiente

Echo Film Festival BRICS 2017 -  Moscou (Russia)

Prêmio SESC Amazônia das Artes 2017

Indicação ao Prêmio da Associação Brasileira de Cinematografia 2017 (categoria estudantil) 

Realizado com Edital da Pró Reitoria de Cultura, Extensão e Vivência - Universidade Federal de Mato Grosso.