CINEMA ENTRE RIOS

Direção, Roteiro e Câmera: Íris
Documentário

90m.

Documentário registra uma revisão histórica de uma expedição realizada em 1931 no interior de Mato Grosso que resultou em um longa-metragem. Quase um século depois, uma nova equipe ressignifica a colonização não apenas cinematográfica perante três gerações de famílias indígenas.

 

 

Um rio entre o cinema. “Mato Grosso - The Great Brazillian Wilderness” (1931) foi o primeiro documentário gravado com áudio no mundo e até hoje ecoa perante a exploração e colonização territorial. Conhecido mundialmente pela sua potência no agronegócio, o estado foi um dos berços do cinema mundial. Rios e mais rios foram palco da ousada aposta de uma equipe hollywoodiana em gravar na chamada “amazônia” uma ficção com roteiro, desistindo e fazendo assim um documentário ou uma outra ficção? O filme de busca contará a história a partir do trajeto percorrido pela equipe original e mostra o hiato de transfiguração das locações do primeiro filme e no modo “cinema”, tanto tecnológica quanto política .

Quase um século depois, uma nova equipe ressignifica a colonização não apenas cinematográfica perante três gerações de famílias indígenas. 

Trecho “Matto Grosso - The Great Brazillian Wilderness” (1931)

Projeto selecionado no 4º ICUMAM LAB 

Laboratório De Fomento À Produção Audiovisual No Centro-oeste

Consultoria:

Beth Formaggini

Fernanda De Capua

Mariana Brasil

Paula Knudsen

Rafael Sampaio

Thiago Dottori

Produção Executiva: Patricia Ribeiro

Pesquisa: Mario Friedlander

Tradução: Iasmin Alvarez

Apoio : University of Pennsylvania Museum of Archaeology & Anthropology

Katherine Pourshariati

Registro na Biblioteca Nacional: Nº 717.089 - Livro 1.387 - Folha 96

(19 de setembro de 2016)

 



Estava na graduação de Radialismo na UFMT e resolvi fazer uma mensagem sobre um rio da minha cidade natal. “Meu Rio Vermelho” foi lançado em 2016, mas no ano anterior, durante a pesquisa conheci fatos históricos envolvendo o cinema e o estado de Mato Grosso.

Guardei a pesquisa e escrevi. Em 2017, vendo a necessidade de desenvolver inscrevi e fui seleciondx com o projeto para participar da terceira edição do ICUMAM (Laboratório de Fomento à Produção Audiovisual).

 

“Cinema Entre Rios” é uma nova versão tanto tecnológica quanto política de se fazer cinema.

A atual situação das coisas pelo local de fala de quem mora no interior do Brasil e dos originários. Comunidade indígena está disposta a lutar com todas as ferramentas, e o audiovisual é uma delas.

Majur (2018)

Principais seleções:

46º Festival de Cinema de Gramado

28º Curta Cinema

26° Festival Mix Brasil

25th Dreamspeakers International Film Festival (Canadá)

22º Mostra de Tiradentes

21ª Muestra Internacional Documental de Bogotá (Colômbia)

13th Muestra Cine+Video Indígena (Chile)

11th Festival Internacional de Cine Invisible Film Sozialak,  Bilbao (Espanha)

Indicação ao primeiro turno do Grande Prêmio do Cinema Brasileiro. 

Realizado com Edital Municipal de Incentivo a Cultura da Prefeitura de Cuiabá 2017. 

Meu Rio Vermelho (2016)

Licenciado para Canal Brasil 

Está disponível no Canal Brasil Play e Video Camp.

Principais Seleções:

17º Encontros de Cinema (Portugal)

10th International Tourism Film Festival (Letônia)

9º Circuito Tela Verde - Ministério do Meio Ambiente

Echo Film Festival BRICS 2017 -  Moscou (Russia)

Prêmio SESC Amazônia das Artes 2017

Indicação ao Prêmio da Associação Brasileira de Cinematografia 2017 (categoria estudantil) 

Realizado com Edital da Pró Reitoria de Cultura, Extensão e Vivência - Universidade Federal de Mato Grosso.